Sunday, 7 April 2013

Sufocado



Sou o verme
vil
baixo
masturbador
egoísta
o monstro abominável
que a todos afasta
repelente
nojento
escamoso
vivo escondido
recluso
sozinho
rastejando
espreitando nas sombras
evitando o público
buscando o contato particular
sou um rato (como meu pai)
ninguém me procura
desperdiço minha vida
sou orgulhoso e medonho
feio como um demônio
me consumo no vício
minha fome é infinita
e arde

Friday, 9 December 2011

lamber o cimento até limpar todos os cantos do centro da cidade
até a língua esfolar e sangrar
e o sangue descer pelas bocas dos esgotos junto com toda a corrupção da podridão humana que perambula em farrapos sujos na aurora desconcertada

Tuesday, 24 May 2011

Sujo meus dedos pelo dinheiro
Sujo meus dedos pelo dinheiro
Sujo meus dedos pelo dinheiro
E me demito